Tudo sobre diagnóstico veterinário

Intoxicação em cães e gatos: como identificar

Intoxicação em cães e gatos: como identificar

É imprescindível atentar-se aos sintomas, eles podem auxiliar na detecção de intoxicação dos pets 

A intoxicação dos pets é uma frequente queixa em clínicas veterinárias

 

Animais domésticos estão sujeitos à intoxicações tanto acidentais quanto intencionais. E infelizmente, na grande maioria dos casos, são propositais.

 

Os bichinhos são ativos e curiosos por natureza. Logo, é mais do que normal que eles sejam instigados a chegar perto de algo, a colocar algo na boca, até mesmo outros animais menores, como insetos, por exemplo.

 

Tudo o que há em qualquer ambiente que seja ou que se move pode despertar o interesse e a curiosidade do animal.

 

Alguns sintomas, como vômito, salivação, diarreria, agitação, apatia e dores abdominais são indicativos de que o animal pode ter sofrido intoxicação, portanto é muito importante que estejamos atentos a eles e explicá-los ao médico veterinário.

 

Há seis possibilidades as quais podem ter relação com intoxicações:

 

Plantas

 

Lírio da paz, azaleia, bico de papagaio, coroa de cristo, comigo-ninguém-pode, alamanda, mamona, babosa, violeta, begônia, hibisco, dama da noite, samambaia, hortência, arruda e tulipa são alguns dos exemplos de plantas tóxicas aos animais. 

 

Outros animais

 

Aranhas, algumas espécies de formigas, vespas, abelhas, escorpiões e cobras são exemplos nocivos aos pets.

 

Alimentos

 

Os alimentos são uma das principais causas. Afinal, quem não resiste àquela carinha pidona quando estamos comendo alguma coisa, não é verdade?

 

Alimentos como a cebola e o chocolate, por exemplo, são causadores de intoxicações. Até mesmo as comidas próprias para os bichinhos podem ser a causa quando consumidas em exagero.

 

Produtos de limpeza

 

Produtos de limpeza em geral, como inseticidas e desinfetantes, por exemplo, são grandes agentes de intoxicações, e devem ser mantidos fora do alcance dos animais e de crianças

 

Remédios

 

medicamentos indicados para humanos e para animais. São muito raros os que se equivalem para ambos. 

 

Esse tipo de intoxicação geralmente ocorre através da administração do próprio tutor que, no intuito de ajudar o bichinho, pode acabar por prejudicá-lo e até mesmo, expô-lo a casos mais graves, podendo levá-lo à morte. 

 

Às vezes, o próprio animal pode acabar mexendo nos medicamentos e vindo a ingerí-los. Isso pode acontecer por um descuido do tutor ou não, visto que a curiosidade é da natureza animal.

 

Assim como os produtos de limpeza, qualquer medicamento deve ser mantido fora do alcance dos animais, bem como de crianças. 

 

Envenenamento

 

Todos os casos de intoxicação e suas reações são sérios, porém o envenenamento é um dos mais preocupantes e graves.

 

Está cada vez mais comum pessoas muito mal intencionadas que fazem uso de pesticidas e veneno para ratos para envenenar os bichinhos. E não é sempre que conseguimos manter os nossos pets protegidos e longe de riscos. 

 

Esteja sempre atento! 

 

Caso o seu animal apresente salivação excessiva e com espuma, vômito, diarreia, dificuldade ao caminhar e respirar, desequilíbrio, tremores, convulsão, sangue na urina e diminuição da frequência cardíaca, leve-o imediatamente a um médico veterinário!

 

Observe também se ele está sonolento, apático, desorientado ou com as pupilas dilatadas ou contraídas.

 

Todos estes sinais são indicativos de uma possível intoxicação. O quanto antes você correr para uma clínica veterinária com o seu melhor amigo, mais chances eles terá.

 

É sempre importante lembrar que não devemos oferecer nada ao animal. Muitos dizem que leite ou água podem neutralizar a ação das toxinas ingeridas, mas na verdade pode piorar ainda mais o quadro. 

 

O que realmente fará diferença é a agilidade no momento de levá-lo à clínica e do atendimento especializado.

 

Nunca deixe de informar devidamente o médico veterinário sobre o produto ingerido ou animal que atacou o seu bichinho. Caso você tenha presenciado a ingestão de algum agente tóxico, leve a embalagem e mostre-a.

 

Se você não tiver conhecimento algum do que possa ter sido a causa da intoxicação, veja se há plantas que ele possa ter ingerido, onde ficam os produtos de limpeza e os medicamentos, por onde ele deve ter andado, além, claro, de procurar vestígios pela casa.

 

Na clínica, seu pet receberá todos os cuidados necessários e será acompanhado constantemente pelos profissionais.

 

Cuidados

 

Há alguns cuidados que podemos tomar para evitar situações de riscos como essa para nossos bichinhos, como: 

 

– Guardar os produtos de limpeza e os medicamentos em locais apropriados, fora do alcance dos animais e de crianças; 

– Conhecer bem as plantas que estão nos nossos jardins ou vasos, como suas espécies e se podem ou não ser nocivas aos animais;

– Evite que o pet tenha contato com venenos;

– Caso a casa precise ser dedetizada, retire o animal do local por algumas horas ou até que o efeito tóxico do produto químico passe;

– Esteja atento ao que o seu animal ingere;

– Não ofereça ao pet alimentos que não fazem parte da sua dieta. As rações são sempre a melhor opção;

– Jamais medique-o por conta própria;

– Mantenha os ambientes da casa sempre limpos;

– Não deixe restos de comida, lixeira e outros dejetos ao alcance dos bichinhos. 

 

Estes são meios de manter os nossos peludos sempre em segurança.

O Safari

 

O Safari Diagnóstico oferece o mais moderno centro de análise animal e possui uma equipe altamente especializada na coleta de exames e interpretação dos resultados de análises laboratoriais.

 

Veterinário, garanta resultados e diagnósticos seguros para a sua clínica. Para mais informações, acesse safaridiagnostico.com.br/ ou ligue (15) 3234-6638.

 

Conte com o Safari Diagnóstico!


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *