Tudo sobre diagnóstico veterinário

Diabetes em animais: como identificar

Diabetes em animais: como identificar

É comum ouvir que um animal de estimação é o reflexo de seu dono. De fato, a convivência entre ambos pode resultar em características que se entrelaçam e fazê-los compartilhar interesses parecidos.

Para além dos hábitos e comportamentos, no entanto, as semelhanças entre humanos e animais se estendem a outras esferas. Sabemos, inclusive, que muitas doenças das quais sofremos também podem ser desenvolvidas pelos pets.

Uma das mais comuns é a diabetes, que pode começar silenciosa até evoluir para estágios mais graves. Uma forma eficaz de evitá-la, ou até mesmo mitigar suas consequências no organismo de nossos animais, é conhecendo suas causas e seus sintomas.

A Diabetes mellitus é uma doença endócrina que se define como uma disfunção no sistema endócrino, um conjunto de glândulas e órgãos responsáveis pela produção e secreção de hormônios.

O corpo de um animal, assim como o de um ser humano, precisa da produção e da transmissão de hormônios para o seu bom funcionamento. Quando há uma disfunção nesse sistema, isso quer dizer que ou há hormônios demais (“hiper”) sendo transmitidos, ou há hormônios de menos (“hipo”).

Um hormônio bastante conhecido produzido pelo corpo é a insulina. Ela é responsável pela redução da glicemia, que é o índice de glicose presente no sangue.

Quando um animal é diagnosticado com diabetes, entende-se que há uma deficiência na produção do hormônio da insulina. Sem ela, a glicose não é absorvida e processada pelas células, o que pode deixar o animal sem energia e com excesso de açúcar no sangue.

A diabetes em animais é mais comum nos cães de meia de idade. Em gatos, os machos castrados são os mais propensos a desenvolver a doença.

As causas podem ser variadas e, em muitos casos, resultam de um conjunto de fatores, tais quais:

  • predisposição genética;
  • inflamação no pâncreas (órgão que produz o hormônio da insulina);
  • excesso de peso;
  • dieta inadequada;
  • administração inadequada de medicamentos.

Já os sintomas podem ser sede excessiva, perda de peso, aumento do apetite e cansaço. O animal também pode apresentar maior frequência de vontade de urinar. E se, após o pet urinar, você perceber formigas ao redor do xixi, isso indica que há acúmulo de açúcar na urina.

Nunca perca o seu animal de vista. Observe-o e fique atento a mudanças em seu comportamento, pois pequenas alterações podem indicar que algo não vai bem.

A diabetes não tem cura, por isso se faz importante o seu controle. Com o avançar da doença, problemas mais sérios podem ocorrer, como catarata, insuficiência renal, cardíaca, entre outros.

À menor suspeita, procure um médico veterinário. Tratada com sucesso, seguindo as recomendações de um profissional, o seu pet pode dispor de uma ótima e segura qualidade de vida.

É imprescindível que os exames de rotina sejam feitos. Análises laboratoriais precisas têm a função de proporcionar uma leitura detalhada do estado de saúde do pet.

O diagnóstico de diabetes pode ser obtido através de alguns exames específicos de sangue e também por urinálise, entre outros.

Quando realizados regularmente, pode-se evitar que tanto a diabetes quanto outras doenças evoluam para casos mais graves.

O Safari Diagnóstico é um laboratório clínico equipado com a mais moderna tecnologia e uma equipe especializada para auxiliar o seu pet no atendimento que ele merece. 

Você, médico veterinário, pode contar com os nossos serviços em sua Clínica! Fale conosco: (15) 3234.6638 ou safari@safaridiagnostico.com.br .


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *